Cloud ComputingDicas

ERP nas nuvens?

nuvem0 - ERP nas nuvens? Tempo de Leitura: 6 minutos

Sabe o que é vital para as empresas, geralmente fica escondido em um canto mas, quando falta, é um Deus nos acuda?

Não, não estou falando do café.

Estou falando do ERP de sua empresa, ou o “sistema” como é mais chamado.

Apesar do ERP ser vital para a empresa, muitas vezes ele é esquecido e não tem a atenção merecida, afinal se ele para, sua empresa também para.

Mas, hoje não vou escrever sobre o ERP, vou escrever sobre onde ele vive, do seu habitat e do que se alimenta, e, de como diminuir os custo com a infraestrutura para mantê-lo.

Onde ele vive?

cloud - ERP nas nuvens?

O ERP vive no servidor. Um servidor é um computador diferenciado, seus componentes são mais robustos, tem suporte a falhas, etc. Além do ERP, nele também “roda” diversos serviços importantes que os colaboradores nem desconfiam. É um computador que foi projetado para não ser desligado. Geralmente, os serviços são distribuídos entre diversos servidores: pode ter um servidor redundante (para o caso de falha de um servidor o outro assume seu lugar), um servidor para o banco de dados, etc.. Depende muito dos requisitos solicitados pela software house e pela consultoria de TI.

O ERP também precisa de toda uma estrutura de rede para os usuários poderem acessá-lo: switch, roteadores, etc..

Como é seu habitat?

O ideal é que os servidores estejam protegidos em um rack, não aquele das Casas Bahia que você coloca a TV em cima, mas sim um próprio para a infraestrutura de redes. Deve ser bem dimensionado, para que, mesmo com os servidores e demais equipamentos, tenha espaço para ventilação e facilidade de manutenção.

E, todo esse equipamento acima, não pode ficar num canto, na cozinha da empresa ou embaixo da mesa da recepção (sim, já vi). Tudo isso tem que ser instalado em uma sala cuja temperatura e umidade tem que ser controlada, quando falo temperatura “controlada” não é fazer do rack um iglu, cada servidor tem uma faixa de temperatura e umidade ideal que é fornecida pelos fabricantes e deve ser respeitada.

nuvem1 - ERP nas nuvens?

Do que se alimenta?

De energia elétrica, muita energia para alimentar servidores, equipamentos de rede, ar condicionado,etc.. Se acabar a energia, os servidores desligam e podem danificar o banco de dados do ERP, então, nobreaks neles. Os nobreaks também devem ser bem dimensionados e devem ser do tipo que, quando estiver sem energia da concessionária e quase acabando a energia da bateria, envia um comando para o servidor para que o mesmo seja desligado corretamente.

Ué, só vi gasto, onde entra a economia?

Feche os olhos e imagine um lugar onde não você terá gasto com energia elétrica, terá segurança, sem preocupação com incêndios e enchentes, uma equipe técnica disponível 24h por dia… Sentiu-se nas nuvens, né! Então, que tal mandar seu ERP para lá!

Hã!?!?

Isso mesmo, que tal mandar seu ERP para as nuvens.

Não estou falando em mandar seu sistema para o espaço, mas sim, em contratar um Data Center e migrar o seu sistema para lá, eis as vantagens:

– Diminui a quantidade de servidores físicos e outros hardwares na sua empresa, portanto, um gasto significativamente menor com equipamentos;

– Redução de gastos com a manutenção de ar-condicionado e nobreaks. Muuuuita economia com energia elétrica;

– Infraestrutura de rede será mais simples e de fácil manutenção já que terá menos cabos e equipamentos;

– O “aluguel” de servidores no Data Center pode ser pago de acordo com o uso, a medida que for necessário pode-se ir incrementando ou decrementando recursos aos servidores (claro que o custo também varia);

– Sem preocupação com roubos e desastres naturais. Sabe aquela chuva com raios de madrugada, quando a gente tira a TV da tomada, então, você sabe do que estou falando;

– A conexão entre a empresa e os servidores virtuais hospedados no data center pode ser feita via VPN que garante segurança a conexão. Também, via VPN, usando notebooks ou tablets, vendedores externos podem acessar o sistema ERP de qualquer lugar que tenha internet.

nuvem4 - ERP nas nuvens?

Tá, está tudo bom até agora, mas quais são as desvantagens?

Como nem tudo são flores, eis algumas desvantagens:

– Há necessidade de uma boa conexão de internet, de preferência dedicada e com link redundante, afinal, sem internet não terá acesso ao ERP;

– 01 servidor firewall que irá fazer proteger sua rede interna e fazer a conexão VPN com o Data Center (este servidor não é realmente necessário, mas, uma empresa não pode correr o risco de ficar sem este tipo de proteção);

– Dependendo da localização do data center, pode ter uma alta latência na conexão. Latência é um atraso que a informação tem para chegar da empresa ao data center e vice-versa. Este atraso é de milissegundos, porém, para alguns sistemas ERPs, pode ser o suficiente para não funcionar corretamente.

Gostei, como faço para migrar meu ERP para nuvem?

Nada de fazer tudo sozinho, contrate uma consultoria de TI que deverá analisar os requisitos necessários para o funcionamento do ERP, te oferecer os planos que se enquadram na sua necessidade e avaliar o melhor meio de migrar seu ERP sem prejudicar o andamento da empresa.

Compensa todo este trabalho?

nuvem2 - ERP nas nuvens?

Muitas vezes só damos importância as coisas quando elas fazem falta. Repetindo o que disse lá em cima, se seu sistema para, sua empresa para. Portanto, trate seu ERP com carinho, cuide bem dele, deixe-o se sentindo nas nuvens.

Dava para escrever sobre este assunto por muito tempo, mas, amanhã é dia de trabalho 😉

Então, comente ai, quais as outras vantagens e desvantagens de manter um ERP na nuvem.

 


 

ERP, Data Center, VPN – É de comê?

nuvem3 - ERP nas nuvens?

Mais um pequeno glossário para você que ficou mais perdido que cebola em salada de frutas.

– ERP (Enterprise Resource Planning) ou Planejamento de recurso corporativo: é uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e armazenamento de todas as informações do negócio. (Wikipédia)

– VPN (Virtual Private Network): é uma rede de comunicações privada construída sobre uma rede de comunicações pública (internet). A VPN utiliza protocolos de criptografia que garantem a confidencialidade, autenticidade e a integridade dos dados trafegados

– Software House: empresa que desenvolve o ERP.

– Data Center:  é o local onde são concentrados os equipamentos de processamento e armazenamento de dados de uma empresa ou organização. são projetados para atender a rigorosos padrões internacionais. A infraestrutura exige alta segurança física e lógica, asseguradas pelas mais modernas tecnologias do mercado. Normalmente projetados para serem extremamente seguros, abrigam milhares de servidores e bancos de armazenamento de dados, processando grande quantidade de informação. Contam com sistemas de extinção de incêndios, sistema inteligente de detecção precoce de fumo e extinção de incêndio com gás inerte, para não afetar os equipamentos. O acesso é controlado por cartões eletrônicos e/ou biometria, monitorização permanente, acesso por porta-eclusa. Ar-condicionado de precisão com monitorização constante, mantém a temperatura constante, resfriando os equipamentos. Ambiente operacional monitorizado permanentemente, em todos os aspectos, físicos e lógicos. (Wikipédia)

 

Fernando Paes Dias

Fernando Paes Dias

Graduado em Ciência da Computação, Administrador de Redes com amplo conhecimento em segurança da informação, focando em soluções Open Source sempre buscando novas tecnologias que otimizam e evitam novos métodos de ataques e violações de acesso.

  • Há diversas soluções hoje em dia, mas com certeza a utilização da Computação em Nuvem vem crescendo a cada dia mais que permitem escalabilidade e disponibilidade que não temos localmente. Muito bom o tema e o post, parabéns!